domingo, 31 de maio de 2009

Fonte de Vida: O Mistério da Vida

“O Deus que fez o mundo e tudo o que nele há, sendo ele Senhor do céu e da terra... porque ele mesmo é quem dá a todos a vida, a respiração, e todas as coisas. Pois nele vivemos, e nos movemos, e existimos”. Atos 17.24-28

Um ser humano – essa complexa coleção de cérebro e ossos, sangue e órgãos, pensamentos, sentimentos e conhecimento – começa como uma só célula com cerca de 0,00254 cm de largura.

Em condições normais, a fecundação acontece depois de um ato sexual, desde que a mulher esteja em seu período fértil. É o momento em que um espermatozóide penetra no óvulo. A partir daí, as duas células (os gametas) fundem-se dando origem a um zigoto ou célula-ovo. Depois de fecundada, a célula se divide rapidamente até chegar aos mais de seis trilhões de células do novo bebê.

A partir da concepção, tem início um período de nove meses durante os quais uma nova vida se desenvolve.

O Salmista Davi com muita propriedade disse: “Pois criaste o meu interior; entreteceste-me no ventre da minha mãe. Eu te louvo porque de um modo terrível e maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. Os meus ossos não te foram encobertos, quando em oculto fui formado... os teus olhos viram o meu corpo ainda informe . Todos os dias que foram ordenados para mim, no eu livro foram escritos quando nenhum deles havia ainda”. Salmos 137.13-16

O início de uma nova vida humana é algo assustador e maravilhoso.
Na quarta semana, o coração do embrião começa a bater. O embrião tem a forma básica de um ser humano. O rosto aparece; braços e pernas, com dedos e artelhos, são claramente discernível. Pesando 340 gramas e medindo 25 centímetros, o feto de 20 semanas já tem sensações de prazer e dor, já possui cabelos e pêlos no corpo, as impressões digitais já são visíveis. Nessa fase o ultra-som pode identificar o sexo do futuro bebê. Depois de nove meses, o feto está apto a sobreviver fora do organismo materno. Nos primeiros meses de vida, seu desenvolvimento é surpreendente. Além de transformações físicas, ele passa por um intenso aprendizado intelectual e social.

"A complicada e fascinante reprodução não pode ser resultado do acaso. Os cientistas não podem explicar o porquê da vida. Por que a vida se desenvolve? Por que a vida é diferente? Por que há semelhanças entre as variadas formas de vida? Por que há diferenças? Aqueles que dão a resposta da “evolução” não estão explicando, apenas descrevendo uma possível cadeia de eventos. Não estão explicando o porquê. Em análise final, a vida sempre será um mistério para os cientistas".

"Um cadáver, por exemplo, ainda consiste nos mesmos cromossomos, nas mesmas moléculas, nos mesmos átomos, nos mesmos elementos da pessoa viva. Mas não está vivo. A vida se foi. Os cientistas podem observar as diferenças entre as coisas vivas e as mortas. Mas não podem explicar o que é a vida".

"Quando os cristãos dizem que Deus é o Criador, estão referindo-se ao Planejador por trás do plano, à Inteligência por trás da inteligência, ao Proponente por trás do propósito, e à Mente por trás da complexidade do universo".

"Os evolucionistas que pegam matéria e energia, e a elas acrescentam tempo, ainda não resolveram o problema. É preciso um planejador ou programador. Os cristãos conhecem esse Planejador como Deus". Josh McDowell

O Senhor planejou tudo a nosso respeito, que possamos honrá-lo por toda a vida.

Fonte:http://www.pvalerio.blogspot.com/

3 comentários:

ÉrIcA disse...

gostei muito do seu blog visita o meu


erikaprates.bogspot.com

ÉrIcA disse...

gostei muito do seu blog visita o meu


erikaprates.bogspot.com

ÉrIcA disse...

gostei muito do seu blog visita o meu


erikaprates.bogspot.com